maio 28 2019 0Comment
dia saúde mulher mortalidade materna 28.05.19

Saúde da Mulher e Mortalidade Materna

28/05 – Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna

Este mês das mães também é de se comemorar o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, o que tem tudo haver com a luta pela aniquilação da violência obstétrica e melhoria do sistema de saúde.

De acordo com o Ministério da Saúde “A morte materna é qualquer morte que ocorre durante a gestação, parto ou até 42 dias após o parto. Ela pode ser decorrente de qualquer causa relacionada ou agravada pela gravidez, porém não devida a causas acidentais ou incidentais. Em torno de 92% das mortes maternas são por causas evitáveis e ocorrem, principalmente, por hipertensão, hemorragia ou infecções”.

A  A Organização Mundial de Saúde (OMS) também “define a morte materna como decorrente de problemas ligados à gravidez ou por ela agravados, ocorridos no período da gestação ou até 42 dias após o parto”.

Portanto, a melhoria do nosso sistema de saúde e atendimento à mulher na gravidez e aborto torna-se fundamental.

Podemos citar como melhorias o uso do plano de parto, atenção ao direito à acompanhante, pré-natal e parto humanizados, valorização do parto normal e redução da taxa de cesáreas, luta contra infecção hospitalar, dentre outras medidas que podem reduzir a mortalidade materna.

Infelizmente ainda estamos longe de proteger a mulher de maneira adequada, não só no campo da saúde, como também no campo penal, devido ao grande índice de feminicídio que ainda ocorre.

Entretanto, quanto mais falarmos sobre o assunto, cobrarmos das autoridades competentes um comprometimento conosco, mais avanços faremos para que o futuro seja melhor para os nossos filhos.

Aproveite este dia e se informe, exigindo atendimento médico adequado, sem violência obstétrica ou qualquer outra que possa limitar os direitos das mulheres.

 

Referências:

Ministério da Saúde.

Blog da Saúde – Ministério da Saúde.

Centro Feminista de Estudos e Assessoria.

 

Leia também:

admin

Escreva uma resposta ou comente